DESTAQUES


UM POUCO DE BELMONTE E AMARA

Amigo amante da música sertaneja hoje você vai conhecer um pouco sobre a história da dupla Belmonte e Amaraí com apoio da jornalista e pesquisadora Sandra Peripato.

Pascoal Zanetti Todarelli, o Belmonte, nasceu em Barra Bonita, no interior do estado de São Paulo, no dia 02 de novembro de 1937 e faleceu num acidente automobilístico em Santa Cruz das Palmeiras/SP no dia 09 de setembro de 1972. Domingos Amaraí Sabino da Cunha, o Amaraí, nasceu em Rui Barbosa, estado da Bahia, dia 11 de outubro de 1940. 
Belmonte, conhecido carinhosamente como Lico em Barra Bonita, formou duplas com Belmiro e também com Miltinho Rodrigues (da dupla com Tibagi).
 
Domingos Sabino, por outro lado, com apenas 16 anos, em Rio Verde/GO, já cantava em dupla com Amoroso. A dupla foi desfeita e Amaraí seguiu para São Paulo, onde passou a se apresentar sozinho, cantando na noite. Amaraí também chegou a formar dupla com Tibagi, algum tempo depois. 

Com apenas 16 anos, Belmonte também já se aventurava pela capital paulista atrás do sonho de cantar; e foi com 18 anos que conheceu Belmiro e formou com ele a dupla "Belmiro e Belmonte", e gravou o LP "Aquela Mulher", pela gravadora Sabiá, e que foi o primeiro disco na carreira artística de Belmonte. 

O sucesso demorou e só chegou em 1964, quando Belmonte, já com 26 anos de idade, conheceu o Amaraí no “Café dos Artistas”; onde formou a dupla “Belmonte e Amaraí”, a qual se apresentava em casas noturnas e bares, interpretando os mais diversos estilos musicais, em diversos idiomas. 

No ano seguinte, Nenete (da dupla com Dorinho), sendo diretor artístico da gravadora RCA, propôs à dupla o contrato de gravação. E em 1967 Belmonte e Amaraí lançaram o primeiro LP, no qual o sucesso da faixa-título "Saudade de Minha Terra" se encarregou de imortalizar a dupla. E foram mais de 1.650.000 cópias vendidas, número até hoje raramente igualado. 
No pouco tempo que durou, a dupla Belmonte e Amaraí deixou sua história na música sertaneja raiz. A dupla possuía as vozes mais afinadas e que melhor se casavam na época. No entanto, apesar do ótimo entrosamento vocal, havia frequentes desentendimentos e separações esporádicas. E foi numa dessas brigas que Belmonte chegou a gravar um LP com Miltinho Rodrigues (o LP "Sucessos" - "Belmonte e Miltinho"); e chegou a se apresentar também com Andaraí (Getúlio, que mais tarde formou a dupla Juraci e Marcito ele sendo Juraci), apesar de com ele não ter gravado nenhum disco. 
Belmonte também chegou a participar em 1968 do LP "Jóias da Música Brasileira" a convite de Geraldo Meirelles e, nesse disco, ele interpretou 6 clássicos da música caipira raiz e folclórica acompanhado de coral e orquestra. 

Belmonte e Amaraí gravaram mais 5 LP's, tendo sido "Porque Fui te Conhecer" o último disco de carreira, lançado pouquíssimos dias depois do acidente que vitimou Belmonte em setembro de 1972. Neste último LP, saíram apenas 11 músicas, o que era pouco comum na época, já que a grande maioria dos LP's tinham 12 músicas, sendo 6 de cada lado. Acredita-se que a música que faltou tenha sido por causa do falecimento repentino do Belmonte antes da conclusão da gravação do disco, apesar de que, segundo Amaraí, todas as músicas programadas para o disco haviam sido gravadas.
 
Belmonte e Amaraí tornaram-se um marco dentro da música sertaneja, Eles inovaram na instrumentação incluindo harpa paraguaia, piano, bongô e trompetes, instrumentos musicais praticamente inéditos até então na música caipira. 

Na curta porém expressiva carreira de Belmonte foram mais de uma centena de músicas gravadas, tendo sido cerca de 25 composições e versões de sua autoria. Inesquecível, a dupla "Belmonte e Amaraí" continua sendo solicitada e tocada nos programas sertanejos de diversas emissoras de rádio em todo o Brasil. 
Seu companheiro Amaraí, por outro lado, seguiu cantando e gravando, formando também outras duplas, tendo feito também gravações em carreira-solo. Foram mais de 40 LPs, os quais alcançaram ótimas vendagens. 

Atualmente o Amaraí canta em dupla com seu filho Francis Douglas da Cunha, sendo que a nova dupla já teve o nome "Amaraí e Francis Jr." Atualmente a dupla formada por pai e filho utiliza o pseudônimo "Belmonte e Amaraí".
Amaraí e seu filho Francis possuem a marca e a patente "Belmonte e Amaraí", que garante a eles a propriedade legítima e é o nome que a dupla usa atualmente. Semana que vem amigos tem mais curiosidades e histórias da nossa música sertaneja, grande abraço.

conh�� oc0�& 8a ente como sendo "Um Trio de Ouro". Gravaram quatro CDs. O trio se desfez com o falecimento de Dorinho em 08 de outubro de 2011.

Em 2012 Iara se uniu a Irene (do Duo Ciriema) e forma um outro trio "Irene, Iara e Ponteli", e gravaram um CD. Mas por motivos particulares esta união não deu certo, e em 2013 Iara se une à Linaldo, formando então o trio "Linaldo, Iara e Ponteli". Essa formação já gravou um CD e se apresenta em todo o Brasil cantando os grandes sucessos de Nenete e Dorinho. Amigos semana que vem amigos tem mais curiosidades e histórias da nossa música sertaneja, grande abraço.



« voltar
Area restrita




Ouvinte cadastre-se aqui Radio cadastre-se aqui
 

Copyright © 2013-2017 Clube do Caipirão todos os direitos reservados